Atualizado: Mai 16

Vô contá um acontecido Que parece inventado Mas já deixo garantido Que é fato confirmado E loguinho me apresento Pra deixá tudo provado

Antes de falá meu nome Um detalhe pra registro Coisa pouca, coisa besta Nem se avexe, eu insisto Vou contá sobre esse causo Só que eu mesmo nem existo

Mas aí que fica sério Vocês tem que admitir Nem existo de verdade Mesmo assim eu tô aqui Sou um sonho meio doido Que passou a existir

E assim eu apresento Seu Quité e seu radinho Que vivia muito longe Lá no mato, bem sozinho Não largava desse rádio Ouvia o dia todinho

E um dia sem querer Seu Quité meio distraído Procurando no seu rádio Coisa pra fica entretido Acha uma freqüência nova Que ele nunca tinha ouvido

Era um som bem diferente De qualquer som do sertão Só cantava em estrangeiro Veja se tem condição Mas tirando a língua estranha Seu Quité achou foi bão!

E a cabeça desse hômi Era de uma rapidez Logo veio mil pergunta Veio tudo de uma vez De onde veio esse forró Com as letra tudo em inglês?

E assim, desse jeitinho Sem nenhuma explicação Que nem filme de magia Que tem na televisão Não se sabe até hoje De onde veio essa estação

A estação tocava Beatles Dia e noite, noite e dia Imagine pra esse homi Que nem lia, nem escrevia Entender em outra língua Se nem português sabia

Seu Quité fala: - Eu num leio nem escrevo Mas no papo sou danado Quando eu for lá pra cidade Eu pregunto no mercado Que forró danado é esse E já volto informado!

E deixo falado uma coisa Pra quem me fizé desfeita Sou poeta de nascença Já nasci com a receita As palavra não me falta Pois os verso me respeita

Já tá bem explicadinho Como surge esse trupé Qualquer música que toca Pra esse aqui é arrastapé Qualquer coisa vira rima Sem precisá de papé!

Assim fomos contratados Esse bando menestrel Seu Quité nos inventou Pra fazer esse papel Sou John Lennon da zabumba E esse é o Beatles Cordel!


Beatles Cordel
Beatles Cordel